INTOX Home Page

    HIPONATREMIA

    DEFINIÇÃO

    Concentração sérica de Sódio menor que 135 mmol/L (mEq/L). 

    CAUSAS TÓXICAS

       Secundária à ingestão excessiva de água 

       *  Fluidos orais excessivos
       *  Fluidos endovenosos hipotÔnicos 

       Secundária à perda de Sódio excessiva

       *  Diuréticos 
       *  Síndrome de secreção Inapropriada de HormÔnio Antidiurético
          (SIADH) desencadeada por drogas
       *  Amitriptilina e outros antidepressivos tricíclicos 
       *  Carbamazepina
       *  Clorpropamida e Tolbutamida 
       *  Clofibrate 
       *  Ciclofosfamida e Vincristina 
       *  Fluoxetina
       *  Inibidores da monoamino oxidase
       *  Antiinflamatórios não-esteróides 
       *  Oxitocina 
       *  Fenotiazínicos 
       *  Somatostatina 
       *  Tiotixene 

    CAUSAS NÃO-TÓXICAS

    *  Insuficiência cardíaca congestiva 
    *  Diarréia
    *  Hipotireoidismo 
    *  Doença hepática 
    *  Deficiência de mineralocorticóide (Doença de Addison) 
    *  Nefropatia
    *  Polidipsia psicogênica 
    *  Hiponatremia pós operatória
    *  Rehidratação com fluidos hipotÔnicos 
    *  SIADH por causas não-tóxicas: 
       *  AIDS 
       *  Carcinomas 
       *  Alterações de SNC 
       *  Dor ou stress pós operatório
       *  Infecções e lesões pulmonares
       *  VÔmitos

    MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

    Pacientes com hiponatremia podem ser letárgicos ou confusos.
    Convulsões e coma podem ocorrer com concentrações séricas de Sódio
    muito baixas (menor que 110 a 120 mmol/L), especialmente quando a
    concentração cai rapidamente. 

    A hiponatremia que se desenvolve mais lentamente pode ser melhor
    tolerada. 

    DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

    Pseudohiponatremia pode ser produzida pela tranferência de água do
    espaço  extracelular para o espaço intracelular, que pode resultar de
    hiperlipidemia ou hiperglicemia.

    INVESTIGAÇÕES RELEVANTES

    *  Sódio sérico
    *  Potássio, cloro e bicarbonato séricos
    *  Testes de função renal (uréia, creatinina)
    *  Glicemia (para excluir hiperglicemia como causa de
       pseudohiponatremia) 
    *  Provas de função hepática
    *  Cálcio e Magnésio séricos
    *  Sódio urinário
    *  Osmolaridade urinária (Os testes mais úteis para determinar a causa
       da hiponatremia são Sódio urinário e osmolaridade urinária. SIADH
       está associada com osmolaridade urinária elevada. Altas
       concentrações de Sódio urinário sugerem perda renal de sais, que
       pode ser decorrente do uso de diuréticos ou nefropatia. Baixas
       concentrações de Sódio urinário e baixa osmolaridade urinária
       sugerem ingesta excessiva de água livre) 
    *  Osmolaridade sérica, albumina, triglicérides (para excluir
       pseudohiponatremia) 

    TRATAMENTO

    O tratamento deve ser instituído com cautela, porque a correção rápida
    e excessiva da hiponatremia pode causar lesão cerebral. O objetivo do
    tratamento deve ser aumentar o Sódio sérico em uma velocidade menor
    que 1 mmol/L/hora ou 25 mmol/L/dia. Em pacientes assintomáticos, 0.5
    mmol/L/hora seria adequado. Obter medidas frequentes das concentrações
    de Sódio sérico para ajustar o tratamento conforme os resultados. 

    Pacientes hipovolêmicos podem ser tratados com soro fisiológico
    normal. Pacientes normovolêmicos são geralmente tratados com restrição
    de água (0.5 a 1 L/dia). Pacientes com sobrecarga de volume
    (insuficiência cardíaca congestiva) podem ser tratados com uma
    combinação de restrição de líquidos e diuréticos. Hemodiálise pode ser
    necessária para pacientes com falência renal. 

    SIADH pode responder à descontinuação da  droga envolvida.
    Demeclociclina pode ser necessária para os casos graves ou
    não-responsivos. 

    Somente aqueles pacientes com hiponatremia muito grave (<110 mEq/L),
    acompanhada por convulsões ou coma devem ser tratados mais rapidamente
    com solução salina hipertÔnica (solução salina a 3%, 100 a 200 mL por
    via endovenosa em 30 minutos). 

    EVOLUÇÃO CLÍNICA E MONITORIZAÇÃO

    Monitorizar volume e eletrólitos cuidadosamente e evitar a correção
    rápida e excessiva do Sódio sérico. Os pacientes devem ser
    monitorizados para convulsões. 

    COMPLICAÇÕES TARDIAS

    Hiponatremia grave ou a correção rápida e excessiva da hiponatremia,
    podem causar lesão permanente de SNC.

    AUTOR(ES) / REVISOR(ES)

    Autor(es):     Dr Kent R. Olson, University of California, San
                   Francisco, USA (February 1999).

    Revisor(es):   Birmingham 3/99: B Groszek, H Kupferschmidt,
                   N Langford, K Olson, J Pronczuk.

    Tradutor(es):  São Paulo, 2001. Dr Ligia Fruchtengarten