INTOX Home Page

    HIPOMAGNESEMIA

    DEFINIÇÃO

    Concentração de Magnésio sérico abaixo da variação normal de 0.8 a 1.2
    mmol/L, 1.6 a 2.4 mEq/L ou 2.0 a 2.6 mg/dL.

    CAUSAS TÓXICAS

    *  Alcoolismo 
    *  Anfotericina
    *  Aminoglicosídeos 
    *  Beta agonistas 
    *  Cisplatina
    *  Ciclosporina 
    *  Diuréticos 
    *  Ácido fluorídrico 
    *  Laxantes
    *  Pentamidina 
    *  Teofilina 

    CAUSAS NÃO-TÓXICAS

    *  Perda renal congênita de Magnésio 
    *  Diabetes mellitus 
    *  Hiperparatireoidismo
    *  Hipertireoidismo 
    *  Ingestão inadequada de Magnésio 
    *  Pancreatite
    *  Hiperaldosteronismo primário
    *  Diarréia prolongada
    *  Drenagem gástrica prolongada 
    *  Transplante renal
    *  Nutrição parenteral total

    MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

    As manifestações clínicas são inespecíficas, variáveis e não são muito
    bem correlacionadas com a concentração sérica de Magnésio.
    Inicialmente, anorexia, náusea, vÔmitos, letargia e fraqueza podem
    ocorrer. Os principais sintomas da deficiência de Magnésio consistem
    em parestesia, cãimbras musculares, irritabilidade, diminuição da
    atenção e confusão mental. 

    Alterações físicas refletem a associação com hipocalcemia e pode
    incluir sinais de Trousseau e Chvostek positivos, tremores,
    hiperreflexia, movimentos peculiares dos dedos descritos como "tetania
    atetóide" e, algumas vezes, convulsões.

    Arritmias cardíacas, distúrbios de condução, fibrilação ventricular e
    parada cardíaca podem ocorrer em pacientes com hipocalemia
    coexistente.

    DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

    *  Hipocalcemia 
    *  Hipocalemia 
    *  Alterações neurológicas que aumentam os reflexos tendinosos
       profundos (atrofia muscular primária progressiva) 
    *  Convulsões devido a outras causas 

    INVESTIGAÇÕES RELEVANTES

    *  Magnésio sérico 
    *  Cálcio e Fósforo séricos 
    *  Sódio, cloro e bicarbonato séricos
    *  Testes de função renal (uréia, creatinina) 
    *  ECG 
    *  Gasometria arterial

    TRATAMENTO

    No tratamento da deficiência de Magnésio, é importante detectar e
    corrigir quaisquer deficiências associadas de Potássio e Cálcio.

    Na deficiência de Magnésio leve, a recuperação dos estoques do
    organismo ocorre rapidamente após receber dieta rica em Magnésio. Em
    casos de deficiência mais grave, a administração de Magnésio
    parenteral é segura e efetiva, mas deve ser usada cuidadosamente em
    pacientes com insuficiência renal. O tratamento inicial requer 8 a 12
    g de Sulfato de Magnésio endovenoso, dividido em doses nas primeiras
    24 horas, seguido de 4 a 5 g diariamente por 3 a 4 dias. É importante
    refazer os estoques de Magnésio nos pacientes com hipomagnesemia, mas
    sem fornecer Magnésio em excesso.

    O Óxido de Magnésio geralmente é fornecido em comprimidos de 600 mg,
    contendo 30 mEq/L de Magnésio por comprimido. Administração de 4 a 6
    comprimidos por dia durante vários dias serão suficientes para
    recuperar a deficiência na maioria dos pacientes. 

    A administração de Magnésio por via oral pode causar diarréia.

    EVOLUÇÃO CLÍNICA E MONITORIZAÇÃO

    O tratamento da hipomagnesemia moderada à grave deve incluir admissão
    hospitalar com monitorização hemodinâmica, estado neurológico e
    eletrólitos séricos. Durante o tratamento de reposição, o Magnésio
    sérico e reflexos tendinosos profundos devem ser monitorizados
    cuidadosamente, especialmente em pacientes com insuficiência renal. Se
    o paciente se tornar fraco ou perder os reflexos tendinosos profundos,
    interromper a infusão imediatamente. 

    COMPLICAÇÕES TARDIAS

    Nenhuma.

    AUTOR(ES) / REVISOR(ES)

    Autor(es):    Dr Tim Meredith and Dr Yeong-Liang Lin, Center for
                  Clinical Toxicology, Vanderbilt University Medical
                  Center, Nashville, USA.

    Revisor (es): Rio de Janeiro 9/97: J.N. Bernstein, E. Birtanov,
                  H. Hentschel, T.M. Meredith, Y. Ostapenko, P. Pelclova,
                  C.P. Snook, J. Szajewski. Birmingham 3/99: B. Groszek,
                  H. Kupferschmidt, N. Langford, K. Olson, J. Pronczuk.

    Tradutor(es): São Paulo, 2001. Dr Ligia Fruchtengarten