INTOX Home Page

    HIPERGLICEMIA

    DEFINIÇÃO 

    Hiperglicemia é definida como uma concentração sanguínea de glicose
    acima de 115 mg/dL (6.3 mmol/L), embora o nível de 150 mg/dL (8.3
    mmol/L) é mais frequentemente reconhecido como anormal.

    CAUSAS TÓXICAS

    Aloxano
    Anfetaminas
    Agentes Beta-2-adrenérgicos
    Bloqueadores Beta-1-adrenérgicos
    Cafeína
    Bloqueadores de canal de cálcio
    Cocaína
    Corticosteróides
    Dextrose
    Diazóxido
    Epinefrina (Adrenalina)
    Glucagon
    Ferro
    Pentamidina
    Somatotrofina (HormÔnio Humano de Crescimento)
    Streptozocina
    Teofilina
    Vacor (PNU)

    CAUSAS NÃO TÓXICAS

    Diabetes mellitus
    Outros distúrbios endócrinos
    Convulsões
    Stress com ativação do sistema simpático

    MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

    Hiperglicemia moderada não causa sintomas.  Com concentrações de
    glicose sanguínea mais altas, a glicosúria determina diurese osmótica
    e desidratação.  Concentrações muito elevadas (maiores que 600 a 800
    mg/dL [33 a 44 mmol/L]) podem causar obnubilação ou coma, resultante
    da hiperosmolaridade sérica.

    Pacientes com hiperglicemia induzida por drogas geralmente apresentam
    outras manifestações da intoxicação que podem sugerir o diagnóstico. 
    Por exemplo, overdose de salbutamol (albuterol) ou outros agentes
    beta-adrenérgicos causam taquicardia, pulso amplo, agitação e
    hipokalemia.  Achados similares podem ser vistos na intoxicação por
    cafeína ou teofilina, ambas também associadas com convulsões em altos
    níveis. Antagonistas de cálcio como o verapamil causam hiperglicemia
    acompanhada por hipotensão e alteraçoes da condução cardíaca. 

    Intoxicaçoes por ferro causam vÔmitos e diarréia; os comprimidos são
    radiopacos e são frequentemente visíveis na radiografia abdominal.

    DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

    Outras causas de coma e desidratação: 

         Hipernatremia (diabetes insipidus)
         Hipercalcemia
         Hipovolemia por vÔmitos, desidratação, etc.
         Ingestão de álcoois

    INVESTIGAÇÕES RELEVANTES

    Verificar glicemia rapidamente através de avaliação laboratorial ou
    testes de sangue capilar por punção digital no leito do paciente.  A
    presença de glicose nos testes de urina sugere elevada concentração
    sanguínea de glicose.
    Eletrólitos séricos
    Cetonas séricas 
    Testes de função renal (uréia, creatinina)

    TRATAMENTO

    Geralmente, a hiperglicemia induzida por drogas não requer tratamento
    específico, e as medidas devem ser direcionadas para o tratamento das
    outras manifestações da intoxicação, como choque e convulsões. Em
    pacientes com evidência de desidratação, administrar fluidos
    endovenosos (preferencialmente soro fisiológico). Para glicemias
    significativamente elevadas, considerar insulina endovenosa.

    EVOLUÇÃO CLÍNICA E MONITORIZAÇÃO

    A glicemia deve ser monitorizada apenas se atingir níveis mais
    elevados (maior que 19 a 22 mmol/L [350 a 400 mg/dL]). Decisões sobre
    a admissão hospitalar e tempo de monitorização dependem principalmente
    do agente específico envolvido na intoxicação.  

    COMPLICAÇÕES POTENCIAIS

    Não são comuns. Diabetes mellitus insulino-dependente permanente pode
    ocorrer após intoxicação por Vacor, pentamidina, aloxano ou
    streptozocina.

    AUTOR(ES)/REVISORES

    Autor:         Dr K R Olson, University of California, San Francisco.

    Revisão:       Cardiff 9/96: V. Afanasiev, M. Burger, T. Della Puppa,
                   L. Fruchtengarten, K. Olsen, J. Szajewski.

    Tradutor:      Dr Ligia Fruchtengarten, Março 99