INTOX Home Page

    CRISE ALFA-ADRENÉRGICA

    DEFINIÇÃO 

    Síndrome resultante da estimulação de receptores alfa-adrenérgicos por
    alfa agonistas puros ou parciais, caracterizada predominantemante por
    vasoconstrição e hipertensão.

    CAUSAS TÓXICAS

    Fenilpropanolamina 
    Fenilefrina 
    Efedrina
    Mefentermina
    Metaraminol
    Metoxamina
    Pseudoefedrina.

    MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

    Hipertensão, bradicardia (reflexa) e midríase.  A hipertensão é
    geralmente acompanhada por cefaléia e, excepcionalmente, pode resultar
    em hemorragia intracraniana. Arritmias ventriculares (incluindo
    bloqueio AV e taquicardia ventricular) também podem ocorrer. 
    Convulsões, infarto do miocárdio e insuficiência renal aguda tem sido
    descritos.

    DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

    Hipertensão de origem não tóxica.
    Inibidores da monoamino oxidase (em overdose ou em associação com
    certas drogas que contém tiramina).
    Substâncias com efeito simpatomimético ou anticolinérgico.

    INVESTIGAÇÕES RELEVANTES

    Exames bioquímicos de rotina, incluindo creatinina sérica.
    Atividade da creatino fosfoquinase, incluindo dosagem de isoenzimas se
    indicado.
    Eletrocardiograma.
    TC de crânio se indicado (sinais neurológicos focais ou cefaléia
    persistente).

    TRATAMENTO

    Em casos leves e assintomáticos, apenas observação clínica com
    monitorização de sinais vitais é suficiente.

    Quando a pressão diastólica permanece acima de 120 mmHg ou existe
    evidência de lesão em órgãos, terapia específica com um dos seguintes
    agentes hipotensores de curta duração deve ser instituída, diminuindo
    cuidadosamente a pressão diastólica para 100 mmHg.

          Nitroprussiato de Sódio
         Vasodilator direto generalizado.
         Dose:     Inicie infusão EV contínua com 0.5 µg/kg/min.
         Aumentar gotejamento progressivamente até a dose máxima de 10
         µg/kg/min, conforme pressão arterial.
         Administrar mediante observação rigorosa, de preferência com
         monitorizacão contínua da pressão arterial.
         Solução e equipo devem estar cobertos para evitar a
         fotodegradação.

          Fentolamina
         Bloqueador competitivo de alfa-adrenoreceptor.
         Dose:  2.5 - 5 mg (0.05 - 0.1 mg/kg) EV a cada 5 minutos até
         obtenção do efeito desejado, seguido de infusão contínua de 25 a
         100 mg/12 horas com monitorização da pressão arterial.

         Atenção: Atropina e beta bloqueadores são contra-indicados.

         Tratar as arritmias ventriculares e convulsões.

    EVOLUÇÃO CLÍNICA E MONITORIZAÇÃO

    A evolução clínica é geralmente auto-limitada e a recuperação
    completa. A monitorização deve incluir sinais vitais (pulso, pressão
    arterial, temperatura), rítmo cardíaco e balanço hidroeletrolítrico,
    até o desaparecimento dos sintomas.

    COMPLICAÇÕES TARDIAS 

    Não são frequentes mas podem ser decorrentes de crise hipertensiva
    grave, incluindo hemorragia intracraniana, infarto do miocárdio e
    hemorragia de retina.

    AUTOR(ES)/REVISORES

    Autor:         Albert J. Nantel, Directeur, Centre de Toxicologie du
                   Quebec, Quebec, Canada.

    Revisão:       Cardiff Setembro de 1996: J-F. Deng, L. Fruchtengarten,
                   L. Lubomirov, T. Meredith, H. Persson. 

    Tradutor:      Dr Ligia Fruchtengarten, Março 99